27 de janeiro de 2023

Como escolher a melhor toalha de banho

 




Oiêee!

Nada como depois de uma semana de trabalho, chegar em casa tomar aquela ducha refrescante e depois secar o corpo com uma toalha macia e com tamanho ideal, é uma das melhores sensações do dia.


Mas você sabe escolher sua toalha na hora de comprar? Muitas pessoas têm dúvidas sobre como escolher toalha de banho na hora de comprar itens de banho.

O que muitas pessoas não sabem é que existem diversos fatores que determinam boas toalhas de banho, a exemplo do fio, tamanho e espessura. 


Dicas de como escolher toalha de banho

 

Você sabe escolher uma boa toalha de banho? Se você sabe ótimo, se não, eu vou te dar  as melhores dicas. 


Para adquirir toalhas de banho macias e de qualidade, é importante dominar algumas informações técnicas sobre a peça. Assim, você faz uma compra mais acertada e consegue aquele pós banho que merece! 


Começando pelo tamanho: a medida de toalhas de banho fica na média de 70 cm de largura por 140 cm de altura. Porém, existem tamanhos maiores. Se você gosta de toalhas de banho grandes, escolha a partir de 150 cm de altura e 90 cm de largura.  




Eu recebi um mimo super fofo da Toalha casadatoalha com um jogo de toalhas da linha Eleganz, que são fabricadas em 100% algodão ultrasolft, o que traz uma suavidade pós banho e a garantia de absorção que você merece.


As toalhas tem tamanhos maiores que as de mercado, as Eleganz tem 1,50 de comprimento e 75cm de largura! 



Veio ainda um modelo de toalha infantil, com uma estampa maravilhosa, tudo para trazer aquele carinho a mais para nossos filhotes. No caso de modelos infantis, a medida também é de 70 cm de largura e 140 de altura. Já a toalha de banho para bebê varia muito de tamanho. 


Uma outra dúvida bastante pertinente na compra do enxoval por exemplo é a quantidade de toalhas necessárias para o dia a dia. Isso varia muito de pessoa pra pessoa. Aqui em casa eu faço a troca das toalhas a cada semana, (exceto a de rosto que é trocada a cada três dias). O Meio Ambiente agradece. Para não sobrecarregar a peça o ideal são de 3 a 4 toalhas para cada pessoa, fazendo esse cálculo, você não corre o risco de ficar sem toalha em seu banheiro.


Melhores tecidos para toalhas de banho

 

Para saber como escolher toalha de banho sem erros, é importante entender sobre os tecidos. A regra é simples: quanto mais fibras naturais o tecido tiver, melhor. Assim, prefira toalhas em 100% algodão, que são mais macias e têm alto poder de absorção. 

 




Uma informação bastante importante é que não deixe de lavar as toalhas de banho antes de usar, pois as peças vêm de fábrica com diversos produtos químicos, tinta, entre outros. O mesmo vale para o tapete de banheiro. 


Uma dúvida bastante pertinente também é se devemos passar as toalhas de banho. Eu oriento que não, pois o ferro quente endurece as fibras, tirando a maciez dos fios.


Agora que você já sabe como escolher sua toalha de banho, que tal renovar o enxoval? Novas toalhas, tapetes  podem deixar seu dia ainda mais especial. 



No site casa da toalha você encontra tudo o que precisa para seu banho ser especial. São toalhas de diversos tamanhos e outros artigos de banho que tornam esse momento perfeito. Visite o site e descubra os excelente produtos com ótimas sugestões de pagamentos!

 




19 de dezembro de 2022

Inimigo Socialmente Construído

Oiêeee.

Li um artigo ontem escrito e me despertei para uma reflexão da nossa identidade nacional,  e buscando entender a lógica da cordialidade e do patrimonialismo em meu cotidiano, me deparei com duas realidades da história. . . Como sabem, sou servidora pública, trabalho dentro da Secretaria de Gabinete do prefeito com comunidades tradicionais indígenas, residentes no município e também com indígenas imigrantes refugiados. 


É sabido que o Estado não detém de um programa de políticas públicas para esses povos que aqui chegaram com maior intensidade há 4 anos,  devido a grande crise humanitária na Venezuela.


Falando num contexto geral de Povos indígenas independente de sua condição, o indígena não deixa de ser indígena por estar em outro país ou numa condição de refugiado. Pois bem, socialmente falando todos nós, preciso me incluir nisso por que sou humana e como diz um grande mestre a humanidade é uma só. Eu venho trazer aqui uma reflexão bastante pertinente sobre o inimigo, ou inimigos que socialmente construímos. 



Vemos também a situação vice-versa. 


Continuando...eu tenho diversos colegas de trabalho, amigos até que são bolsonaristas. Quando uso o termo bolsonaristaa, não me refiro apenas o voto ao presidente em questão. Falo de algo mais profundo, de algo mais consolidado. Uma corrente que vem ganhando força pelo país. 


Falo que isso é um terreno perigoso, por que vejo a história se repetir. Vejo no *bolsonarismo uma tendência do nazismo. Desse modo, observando a história, vemos o que o nazismo fez com o povo judeu, onde os Alemãs acharam que os judeus eram seus inimigos. Fizeram isso também com a população negra, onde os europeus colonizaram o continente Africano no contexto de escravidão e subserviência. Fizeram isso com os indígenas. Em todo o mundo e no Brasil também, e o fazem até os dias de hoje. O que mudou foi apenas o espaço, o território, pois a elite agora é urbanizada. 


Então é preciso entender o contexto histórico das relações, o patriarcado, o processo de globalização e seus efeitos. O etnocentrismo como uma forma extrema de violência social que subjetivamente simboliza o outro. Cuidar para que os meus julgamentos não sejam implacáveis, e entender realmente as histórias, sem cortes, ou apenas a  parte que me convém. Ver com sensibilidade o que realmente acontece e dessa primícia validar e discutir a existência do outro sem atribuir bem ou mal. Trazer ruptura com a estrutura única e ver de que forma internalizamos as histórias incompletas. 


Sim Maria, mas o que mesmo você está querendo dizer? Estou querendo dizer que nós a partir de nossas crenças inválidas construímos socialmente alguns inimigos. Isso está acontecendo em evidência no nosso país. Vi notícias de pessoas matando o outro por ideologias antagônicas. 


Eu quero mesmo é deixar um alerta para que nós não entremos naquela vibe de ódio. 



*fenômeno político de extrema-direita


3 de dezembro de 2022

As Surpresas da Internet Chata

Oiêe viajantes da Terra! Muito bom dia.

Mencionei outubro como um mês de turbilhão. E o que falar de novembro? Insano!

Já faz algum tempo, anos até que venho achando a internet muito chatinha. Falo especificamente das redes sociais. Para os anciões da internet como eu, isso tudo está um saco, (com exceção dos Blogs he, he). Tudo tão artificial. E cá estamos nós, (meus eus), entre hibernações e vivências mantendo esse bloguinho que é meu xodó, já falei isso várias vezes. Meu termômetro de mal e bem-estar.


Pensando aqui se falo sobre os filmes que assistir, comecei a saga de escrever em setembro e não dei sequência, como em quase todas as coisas que me dão prazer. 
Sobre as leituras, estou uma eterna preguiçosa, sério, está uma vergonha isso aqui. Parece que perdi o hábito da leitura, os livros viraram mero objetos decorativos nessa toca. 

Agora uma das coisas legais, das aspirações anual, eu conseguir a árvore de Natal brança. Éeeee! Yes!
Meio que aposentei a dos anos anteriores, (mentira, ela tá montadinha na casa de uma amiga querida, alegrando outros lares). Como mudei do apartamento para minha toca de coelho, montar aquela árvore aqui seria quase impossível, aí casou tudo. 





Agora falando das surpresas que a internet chata traz, eu preciso trazer o Determinismo como fonte de inspiração pra o que tá rolando comigo nesses dos derradeiros dias.  Vocês aguardem, o universo está trabalhando, a terra ta girando. como diz Lenine, A vida não pára, não pára não! 



27 de novembro de 2022

O Poder da Escrita: escrever também é um desafeto

Sabe quando você quer escrever para desapegar? Então, escrever também é um desafeto. Afinal falar de algo que não somos mais, nada mais é de desafeto de quem já fomos um dia.

 

E vocês verão muito disso daqui pra frente. Valho-me desse meu diário público virtual para desapegar-me de quem já fui até ontem.

 

Funciona como uma hora com a psicóloga. Você escreve seus medos, suas verdades, suas expectativas e também suas frustrações.

Escrever também é aquela sacada do intelecto em colocar pra fora, todas as ideias, o jus de algum assunto que a gente dialoga na memória.


O Poder da Escrita!

 

Escrever pra mim, é terapêutico, é criativo, é fugaz e eterno. E olha só, muitas vezes ao escrever até fujo um pouco do assunto que quero falar. Isso dá a entender que a própria escrita tem seu percurso.

 


Ao escrever sobre tal assunto eu descubro exatamente o que eu penso e o que eu quero mais saber sobre ele. Na verdade, a escrita já faz parte da minha vida.




Penso que as pessoas deviam valorizar mais a escrita, afinal ela muda a vida das pessoas. E pra mim a escrita funciona como um termômetro emocional. Muitas vezes o bloqueio criativo é apenas resultado da não vontade de não produzir, de não querer escrever. Esse é o principal motivo pelo qual não profissionalismo o Blog, pois a partir do momento que eu fizer isso, não terei mais tal liberdade.


 

A escrita é uma ferramenta simples, é só caneta e papel na mão. Atualmente, o lep top é claro!

Avaliando o papel fundamental da escrita pra mim, dentro do vasto uso que eu faço dela, o de colocar pra foras minhas emoções é o principal deles.

 


Nesse caso, uso a escrita como uma conversa, um diálogo que tenho com meu Eu, (momento que eu tenho comigo mesma) em que eu busco entender o que eu penso e o que eu sinto e como eu organizo as minhas ideias.

 


Quando falo que a escrita é desafeto, na maioria dos meus textos ele é curador para mim, justamente por que na escrita expressei meu mundo das ideias. Como falei anteriormente, eu trabalho minhas emoções. É tipo uma escrita expressiva, é basicamente isso.


 

Tenho consciência que manter um blog num mundo onde a forma de transmitir informação muda constantemente, é cada vez mais desafiador. O que me anima é saber que tenho leitores desse Blog e não estou gritando ao vazio. E já cheguei a pensar e me perguntar, se este Blog está virando um Blog exclusivamente no contexto da linha editorial da escrita he, he. Acredito que não, a escrita é apenas mais um meio de clarear meus pensamentos, me inspirar e me senti viva. Capaz!

16 de novembro de 2022

Garantia de Políticas de Proteção Integral é Tema de Conferência Municipal

 


Oiêee minhas leitoras e leitores.

Atenção para essa programação super, ultra necessária.

Está sendo realizado no Centro Universitário de Parauapebas-CEUP, a 11ª Conferência Municipal dos Direitos da Criança de Adolescente de Parauapebas, que traz como tema central "Situação dos direitos humanos de crianças e adolescentes em tempo de pandemia da Covid-19: violação e vulnerabilidade, ações necessárias para reparação e garantia de políticas de proteção, com respeito à diversidade". 


Promovida pelo Conselho de Direitos – COMDCAP. O objetivo da Conferência é discutir e dialogar com as principais pautas que envolvem a proteção de crianças e adolescentes no contexto pandêmico.  

Eu e meu amigo, ex-colega do quadro de Agente de Proteção do Poder Judiciário, participamos da Cofnerência


Na conferência está sendo discutida várias temáticas/eixos, e um deles é a Garantia de recursos para as políticas públicas voltadas para crianças e adolescentes durante a após a pandemia de Covid-19.


Para a juíza de Direito da Vara da Infância e Juventude de Parauapebas, Priscila Mousinho há muito o que se fazer ainda em Parauapebas para fortalecer a rede de apoio a proteção da criança e adolescente. Que há necessidade de investimentos pelo poder público para dar continuidade ao trabalho que já vem sendo feito. Já o prefeito em exercício João Trindade, disse que a gestão municipal é bastante sensível as pautas da infância e juventude e que não vai medir esforços para colaborar enquanto gestor.


Após as importantíssimas falas foi a vez do palestrante Reinaldo Balbino,  no qual fez uma monção honrosa ao Conselho Municipal de Direitos da Criança e Adolescentes do Município de Parauapebas. Balbino falou bastante da atuação do Conselho Tutelar e suas atribuições.  


A Conferência visa promover a ampla mobilização social no município de Parauapebas para refletir e avaliar os reflexos da pandemia Covid-19, na vida das crianças e adolescentes e suas famílias e para a construção de propostas de ações e políticas públicas que garantem os seus direitos no contexto pandêmico e pós-pandemia.

Ana Lúcia conduziu o cerimonial e esteve na organização da Conferência


Eu gosto bastante de participar das discursões que envolvem a pauta de crianças e adolescentes. Acredito que as instituições devem se unir para combater a violação de Direitos. 


Se você também tem interesse em dialogar sobre o assunto venha participar da Conferência. Está sendo realizada no Centro Universitário de Parauapebas, na Rua A, e acontece até amanhã.



Topo