24 de julho de 2016

Briga entre Irmãos: Como Lidar.

Olá mamães, hoje o post é direcionado para nós, e para quem se interessar pelo assunto. Quem ai nunca teve uma briga de irmãos? Algo naturalmente saudável até certo ponto.

Uma vez minha filha Maria Luiza, 11 anos quis saber por que irmãos brigam tanto. A ela foi dada a seguinte resposta: Irmãos brigam para aprender a se defender na vida, é na família que se aprende tudo, se aprende a amar, a perdoar, a se respeitar e a se defender também, se defender do mundo lá fora.
Essa explicação é bastante profunda quando refletimos sobre ela. Aqui podemos ver a dimensão do amor de Deus por nós. Ele nos dá a oportunidade de termos uma família, para nos preparar para a vida, para a nossa evolução. 
Quem tem a oportunidade de ter irmãos de sangue tem duas vezes a oportunidade de ser irmão daquela pessoa. Pois sendo nós todos filhos de Deus, somos todos irmãos, e com uma bondade grandiosa, temos irmãos duas vezes.


Sobre as brigas de irmãos, aqui em casa elas começaram quando Maria Luiza chegou à terceira infância. Com a diferença de idade entre ela e a irmã que é de 5 anos, as brigas começaram a ter uma frequência quase que diária.

A Glória me auxiliou muito a cuidar da irmanzinha quando era bebê e na primeira infância. Porém quando certa idade chegou as duas pareciam duas rivais, brigavam por gaveta, pelo controle da tv, o lugar a mesa, etc. As brigas começaram com palavras, e teve um tempo que chegou a ter agressão física. Lembro-me que uma vez as duas começaram a dar chutes uma na outra. Foi então que eu vi que estava na hora de intervir.



Essa hora é bastante delicada, pois nós pais nunca devemos tomar partido. Eu conversei primeiro com a Glória e disse a ela que por ser mais velha seu dever era auxiliar sua irmã, pois essa é uma das missões dos irmãos mais velhos, auxiliarem os irmãos mais novos, no que eles precisarem. Disse também que era injusto ela sendo 5 anos mais velha se comparar com a irmã que pela idade biológica é bem mais imatura.
Depois conversei com Maria Luiza. O que nós pais devemos perceber, principalmente nós mães, que é quem passa maior parte das horas com os filhos, é se as brigas são rivalidades de gênero e/ou concorrência mesmo de ambos. 
O que eu aconselho é que não se deve fazer vista grossa e nem tomar partido de um, pois se isso acontecer será mais um motivo para surgirem futuras brigas, pois o preterido vai sempre se achar injustiçado e com razão, afinal não se deve ter preferências com relação a filhos.


"Em briga de irmão, não se dá opinião."
"Em briga de irmãos, não metas a mão."
"Quando um não quer, dois não brigam."
(fig. meramente ilustrativa)

Se os pais não interfere nas brigas caso elas estejam passando da normalidade e com frequência, as crianças estão caminhando para uma vida adulta de rivalidades.
Alguns irmãos se relacionam bem sem fazer grandes esforços. As brigas entre eles surgem somente de vez em quando. Hoje aqui em casa as crianças não brigam mais como antes, a fase também passou, hoje minha filha mais velha está entrando na fase adulta e Maria Luiza na adolescência.  As duas apenas discutem por divergências de opiniões. Penso que cada pai deve fazer o melhor  caso queiram o bem da sua prole.
Topo