13 de novembro de 2016

Pensamentos: Sentimentos da Existência.

Hoje eu tenho mais facilidade para iniciar uma nova mudança na vida. Porém existem outras difíceis de concluir. Para algumas já nem sei se vou conseguir sequer começar. O que mais tenho medo é de iniciar algo por empolgação e por um certo tempo eu perceber que isso não me satisfaz mais. Por conta disso tenho diminuído o passo, seguindo mais devagar, olhando tudo...as vezes gosto do que vejo.


Faz algum tempo que venho fazendo as pazes comigo. Confesso que isso não tem sido tarefa fácil, pois exige esvaziar-me do passado, de coisas velhas, de pessoas ranzinzas que me causam desconforto e preencher-me do novo. Esse novo muitas vezes não é recíproco. Ele chega, mas não me reconhece. Então, também preciso dar adeus e esvaziar-me do novo é bem mais difícil.  Examinar o amor é mais fácil que vivê-lo nos dias de hoje. 

A minha religiosidade muitas vezes questionada por algumas pessoas tem me auxiliado  bastante nesses derradeiros anos. Cair e levantar, nunca foi fácil. Viver em plena construção constantemente se torna cansativo e as vezes tudo que eu quero é externar-me a uma nova identidade. Isso também é resultado da entrega plena em tudo que faço, sinto e vivo. 


Você que está lendo esse post pode estar achando que sofro de crise existencial. Talvez você esteja certo, (risos). Mas prefiro acreditar que tenho muitas limitações e quero conhecê-las todas elas e trabalhar para superá-las, afinal eu ainda tenho muito o que fazer por aqui. Mantenho-me de pé, altiva, esguia, olhando para o sol.  É pra lá que eu vou. 

Beijos... 
Topo