2 de maio de 2017

Um Amanhecer de Outono

Amoras queridas. Bons dias!! 

Eu passei o final de semana e o feriado na casa de meus pais no campo, em Canaã dos Carajás. Foi aniversário da minha mãe e combinamos de irmos todos para lá, os filhos, e netos. 
Foi bem legal, a minha mãe ficou muito feliz com o almoço que fizemos.

Os dias estavam e ainda estão lindos, ensolarados, e as manhãs começam com um sol nada leve, mas já quente. O  outono está sendo muito especial para mim. Uma nova etapa da minha vida. Uma etapa de muitas mudanças... muitas mesmo.
E esse é um dos motivos do meu sumiço no Blog. Nem sempre eu encontro força mental para escrever e falar sobre esses assuntos. Também quero preservar um pouco minha pessoalidade com essas mudanças. Mas eu prometo contar tudo até concluirmos o que estamos pretendendo. 

Mas quero dizer que todas essas coisas me inspiram muito também, mas preciso manter uma reserva sobre assuntos tão determinantes. Se é que me entendem. Alguém até pode perguntar, mas o blog é pessoal. Eu explico! Muitas vezes quando compartilhamos sonhos, alegrias e projetos, nem todas as pessoas recebem com alegria as nossas alegrias. Esse é um dos principais motivos.
Meu blog é um canto acolhedor para mim. E sei que muitas pessoas acompanham meu estilo de vida por aqui. E acreditem eu preciso muito de todas vocês. Escrever, me inspira pra vida! Contar como foi o meu dia, ou nosso final de semana, é gratificante compartilhar com vocês. 


No amanhecer de domingo, eu me coloquei a pensar que já sou blogueira algum tempo, e sempre me preocupo em vocês se acostumarem com tudo, e no geral se cansarem. As vezes eu mesmo me canso dos mesmos sentimentos interiores e os cuido para não joga-los aqui. Afinal, o que eu escrevo aqui tem que ser interessante para você, senão eu escreveria num caderno apenas para mim. 

Portanto, essa luta interna tem sido frequente. Muitas vezes por esses dias abrir a  caixa de texto do Blog, e ficava olhando para ela, pensando no que escrever. Então, nada escrevia. Estar aqui é bom para reordenar os pensamentos. 

As manhãs no campo tem uma tranquilidade quase que imaginária. O Pedro Augusto passara os dias entretido com o primo Ruan. Havia outros primos, e as vezes chega até ser demasiadamente cansativo tantas crianças juntas por alguns dias no mesmo espaço. Brigas, discussões, choros, são coisas comuns entre primos desde a primeira infância.  


Umas das coisas fantásticas que eu acho quando estou na casa de campo com meus filhos é ver o Pedro se aventurar pelo caminho sozinho para a casa do primo. Sua inocência chega a ser comovente. Ele tira o percurso a passos largos, (risos), com a cabeça baixa. Ele também gosta de ver o tio Zé lidar com as criações, principalmente com o gado. Enquanto eu me perdia em meus pensamentos e tomava café logo nas primeiras horas do dia, ele veio me fazer companhia. Ele chega meio que "roçando", em mim só para receber carinho. Então percebi que ele ao avistar o gado vindo para o curral já se afastou um pouco de mim e começou a observar atentamente.



Estar nesse lugar é reviver um pouco a minha infância. A represa, a vida no campo, a lida, tudo isso remete meus pensamentos aos meus 8 anos de idade. Exatamente nesse lugar passei boa parte da minha infância. O cheiro do lugar ainda é o mesmo...

Beijos, e até a próxima narrativa rsss.






Topo