14 de abril de 2017

O Que é a Páscoa?

Olá. 
Estava querendo escrever sobre o dia de hoje e esse momento vivenciado praticamente no mundo inteiro. A Páscoa! Mas confesso que estava não sei se era com preguiça ou cansaço, (risos), eu rolando a timeline do facebook me deparei com uma postagem super interessante, que é bem basicamente o que eu estava querendo escrever. 
O mais legal é que a postagem é de um cursinho aqui de Parauapebas. O Aprov, que é referência em aprovação em vestibulares. 
Achei fantástica a ideia de empresas educacionais sair do tradicional (disciplinas), e falar sobre datas, sobre acontecimentos, etc.

Mas de fato o que e a Páscoa. 

Vamos ver a postagem!


A Páscoa dos judeus, simboliza a libertação. A escravidão que passou. Ela é comemorada no primeiro mês do ano Nissan, que corresponde no calendário gregoriano, aos meses março-abril, sendo esse mês Nissan de 30 dias.


Claro que quando Jesus nasceu já existia a Páscoa. Vamos entender as datas. 

Quando Jesus entrou em Jerusalém no primeiro dia do equinócio da primavera, dia 21 de março, (do nosso calendário), que naquela época ainda não existia. Nesse dia 21, era um domingo, que os católicos chama de Domingo de Ramos, por que Jesus entrou na cidade em cima de um jumento. A entrada triunfal de Jesus em Jerusalém, depois desse dia Jesus não saiu mais da cidade, permanecendo até a crucificação.

Desse dia até a Páscoa, domingo, algumas religiões denominam como Semana Santa. Pois bem, na quinta-feira da semana foi a noite em que Jesus foi orar no Horto de Getsêmani, no monte das Oliveiras. A palavra Horto significa lugar. Entende-se que Horto era um lindo jardim. Jesus foi para sua vigília de oração, falar com o pai, pois sabia que se aproximava a sua paixão, seu sofrimento. 

Falar e escrever sobre esse momento emociona-me. A gente tenta imaginar e contemplar esses momentos de Jesus.  

Pois bem, Jesus foi orar com seus 11 discípulos, e pediu que alguns deles que ficassem na porta do Horto vigiando e três o acompanhasse. 

Na história, conta que era noite de lua cheia. Quando o papa Gregório corrigiu o calendário, foi justamente para que o equinócio da primavera iniciasse no dia 21 de março. Isso no hemisfério norte. Para nós inicia o outono. Não sei se vocês já perceberam, mas em todos os anos, a lua que antecede a sexta-feira santa, é a lua cheia. Prestem atenção daqui pra frente, ok!

Na noite que antecede a crucificação, dia 24 de março, quando Jesus se encontrava com seus discípulos no Horto das Oliveiras, Jesus foi preso pelos guardas e começou seu martírio. Analisando as escrituras, eu penso que o momento da prisão de Jesus foi no meio da madrugada, pois Pedro o negou antes que o galo cantou, e que horas o galo canta? Não vou contar pra vocês não, vão pra uma roça e descubram ha ha. Mas já se aproxima o raiar do dia.

Fazendo a conta das horas, no momento em que ele foi julgado, e entregaram sua cruz, já devia ser por voltas das 10h da manhã. Pois a sua crucificação se deu ao meio dia. E o trajeto da cidade até o Gólgota, local onde Jesus foi crucificado, segundo a história não era um percurso muito longo. 

Como era sexta-feira, dia 25 e já se aproximava o sábado, contando a partir das 18h, pôr do sol. Corpos não podiam ficar na cruz. De olho no relógio, segundo estudiosos, Jesus entregou seu espírito ao pai as 15h da tarde. A ciência explica que ao ser crucificado o peso corpóreo, cai numa inclinação pra frente, o efeito disso é os pulmões fechando lentamente, a dificuldade da respiração vai aumentando até não conseguir mais aspirar o ar para os pulmões.  Isso tudo tendo que sustentar o peso do corpo nos pés cravados na madeira.

De acordo com a bíblia Jesus falou 7 frases na cruz. Uma dela foi que tinha sede. Após a sua morte, um dos guardas perfuraram o corpo de Jesus com uma lança, para confirmar se sua morte. 

Antes do pôr do sol, o corpo de Jesus foi retirado da cruz e despojado no colo de sua mãe Maria. 
No domingo, dia 27, Jesus ressuscitou. E no cristianismo comemora-se a Páscoa. Pois todo o sofrimento da paixão havia passado. 


Não podemos esquecer o verdadeiro sentido da Páscoa em nossas vidas. Tanto Judeus quanto cristãos.
Passar esses valores para nossos filhos além dos ovos de chocolate é inserir valores e conceitos morais cristãos na família.

Algumas empresas se valem dessa data e lucram altos valores, através do consumismo das pessoas.
Que não trocamos o verdadeiro sentido da Páscoa, pelo coelhinho que não é da Páscoa.

Bay...Feliz Páscoa! O sepulcro está vazio!


Topo