26 de abril de 2017

Cárie de Peito no Bebê, e o Tratamento

Olá mamães!

Alguém ai já levou o filho bebê ao dentista? 
Então senta ai que vou te contar de um drama vivido recentemente aqui em casa. 
O Pedro Augusto, deu cárie de peito. É, isso mesmo. Você talvez esteja surpresa como eu fiquei, por que jamais imaginava que isso poderia vir acontecer.
Com as meninas não tive esse problema. Até por que amamentei elas menos do que o Pedro. 



Na idade de 2 anos do meu petit boy, eu percebi que os dentinhos superiores  dele estavam com pequenas cavitações e com uma coloração marrom. Segundo a médica odontopediatra que levei ele a primeira vez para uma análise, ela me informou que o Pedro estava com cárie de peito. 

Eu fiquei sem ação no momento. Então a doutora me explicou que como eu amamentava ele a noite, e as vezes ele adormecia no peito, uma crosta fina de leite se formava entre os lábios e a gengiva, ocasionando a fermentação e afetando a esmaltação dos dentinhos, o que levou a doença de cárie. 


Foi ai que me dei conta que o aleitamento materno é indicado como o melhor tipo de alimentação, mas por período limitado após a dentição. Se a criança tiver dentes e adormecer mamando no seio, como foi o caso do Pedro o efeito pode ser nocivo.  Enquanto o bebê dorme, o fluxo salivar diminui e a matéria orgânica permanece mais tempo em contato com os dentes, causando desmineralização generalizada do esmalte.

Quando eu vi os dentinhos do meu filhote com cárie, me deu uma sensação de mãe descuidada. Mas eu fazia a higienização todos os dias na boquinha dele. Porém a noite eu o alimentava, achando que não haveria mal algum.

Como o Pedro ainda era muito bebê a odonto me orientou desmamá-lo a noite e fazer o controle da cárie com a escovação. Então assim eu fiz por quase um ano. Os outros dentinhos foram nascendo e fui controlando. Mesmo com as críticas para desmamar o Pedro eu ainda resistir por muitos meses. Nesse período a cárie avançou e mesmo assim eu quis esperar ele crescer mais um pouco para fazer o tratamento. Eu penso que conversando e explicando seria menos traumático para a criança a cadeira do consultório. 



Foi então que alguns dias atrás eu percebi que a cárie já estava num estado mais avançado, e não dava mais para esperar. Foi então que na semana passada eu decidi que estava na hora de levá-lo ao dentista e realizar o tratamento. Assim eu fiz. 

O mais legal de tudo é que o município oferece o tratamento gratuito. Por que já posso adiantar que a bagatela seria um custo de Um Mil e Quinhentos Reais. Isso por 3 dentinhos, rssss.

Mas procurei a saúde básica, que é um direito nosso de todo cidadão. E para minha surpresa o Pedro Augusto foi encaminhado para uma equipe de dois profissionais maravilhosos, no posto de saúde do Bairro Liberdade. O dr. Adielson Castro e sua assistente, que não consigo recordar o nome he, he. Mas ela foi maravilhosa, conversou o tempo todo com o Pedro, eu confesso que teve uma hora que deu vontade de sair do consultório e vir embora pra casa com ele, mas seria errado se tivesse feito. Nós mães as vezes somos submetidas a dor de ver o filho sofrer, mas é pelo bem dele.  



Não foi tarefa fácil. Mesmo eu tendo conversado alguns dias antes, na hora de abrir a boca ele chorou, esperneou e tivemos que segurá-lo. Teve um momento já no final do procedimento, ele já estava adormecendo e tudo ficou mais fácil, inclusive pros profissionais que realizaram o tratamento. 

A autoconfiança e o carisma das pessoas que cuidaram do meu filho fizeram a grande diferença. Eu sou grata de coração. Pois agora meu bebê está com a boca totalmente saudável e vai estar sorrindo lindamente no aniversário de 3 aninhos. 

O que aprendi com tudo isso? Que devo estar ais atenta aos cuidados da saúde dos meus filhos. Vale pra todas nós.

Beijinhos, até!!!



Topo