29 de julho de 2016

Time and Life: Transição

Sou mesma caçadora de mim. A vida é engraçada e quando você tem alguém que te convida pra um café e te compra um chocolate, você faz desses momentos quase um momento de boulangeries em Paris. Mas você chega  a um determinado ponto que não está na Europa e já não se sente mais satisfeita com isso. Então você percebe que poucas pessoas sabe o seu gosto musical, que poucas pessoas ou talvez nenhuma saiba compartilhar ou me faz compartilhar coisa alguma. 
Isso vai meio que nos isolando de algumas pessoas, até por que a gente prefere a companhia de quem valoriza a nossa presença. Eu tenho sorte, pois sempre me dei bem com a solidão, que para alguns é o mal do século. Eu adoro ficar sozinha em alguns momentos. Sabe quando você pensa melhor com a cabeça embaixo do chuveiro, então, a solidão é algo muito prazeroso e vantajoso sabendo usa-la. 
Claro que tem aquelas pessoas mara que aparecem não sei da onde e não se sabe por que. Elas são tão especiais que conseguem deixar a solidão  um saco. Elas te fazem ter vontade de se socializar, de ir rever amigos, de sair a noite, de namorar...enfim, são inúmeras novas sensações.
Ai você se dá conta que a vida te pede um abraço.


Topo